Gilberto Brocco participa do Ciclo De Debates e Palestras da Expodireto Cotrijal 2018

Gilberto Brocco, diretor da empresa Mercobor e também presidente do SINBORSUL, participou do ciclo de debates e palestras da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal durante a feira Expodireto Cotrijal 2018. Comentou sobre o Agronegócio e sobre as previsões referentes ao cenário econômico do Brasil. O debate ocorreu no dia 9/03, sexta-feira passada com a senadora Ana Mélia Lemos. Expodireto Cotrijal 2018 é um evento que ocorre entre os dias 5 e 9 de março, em Não-Me-Toque (RS).

 

Link: http://www.canalrural.com.br/noticias/rural-noticias/expodireto-cotrijal-2018-vem-para-bater-recordes-71982 

Fonte: Mercobor

Jantar de encerramento do Ano da Sinborsul

SINBORSUL

 

No jantar de confraternização de fim de ano do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul), na sexta-feira, o presidente da entidade, Gilberto Brocco (foto), também diretor e fundador da empresa Mercobor, destacou o otimismo para o próximo ano, por conta do cenário de eleições. 

 

MUDANÇA

 

O dirigente aposta na mudança no comportamento dos brasileiros em relação a suas responsabilidades e numa maior cobrança da sociedade do posicionamento político e ético de seus representantes.

 

OTIMISMO

 

Brocco estima um crescimento de até 15% no setor.

 

CENÁRIO

 

Enfatiza, porém, que será necessário cerca de cinco anos para que a economia geral volte a crescer.

 

REPRESENTATIVIDADE

 

O Sinborsul conta com 230 empresas associadas que geram 10,5 mil empregos diretos.

 

PARCERIA

 

Brocco agradeceu a parceria dos empresários e falou sobre a importância da família.”É nosso centro, o apoio, devemos sempre valorizar”.

 

FAMÍLIA

 

No dia da confraternização, 8 de dezembro, se comemorou o Dia da Família.

 

CENTRO DAS INDÚSTRIAS

 

O Sinborsul tem base territorial em todo o Estado do Rio Grande do Sul e a sede funciona no Centro das Indústrias, localizado na Rua José Bonifácio, 204, no Centro de São Leopoldo.

Fonte: JORNAL DO VALE DOS SINOS (VS)

A maior Prensa da América Latina

Recentemente a empresa Mercobor, adquiriu uma nova máquina que é considerada a maior da América Latina. Essa prensa poderá produzir o dobro do número de peças aumentando a produção da empresa, agilizando a sua produção e a sua qualidade de atendimento. O senhor Gilberto Brocco, fundador e diretor da empresa, comentou porque esse investimento foi tão importante:

"Esta máquina pode fazer peças de 2000mm por 1700mm, área de 3400m quadrados. E possui a capacidade de prensar de 850 toneladas a uma temperatura de 250 graus." Gilberto Brocco.

Ou seja, possui um poder de produção muito superior às máquinas existentes atualmente em muitas empresas.

Fonte: Mercobor

Mercobor na Mercopar 2017

A 26ª Mercopar ( Feira de Subcontratação e Inovação Industrial ), realizada entre os dias 3 e 6 de outubro, em Caxias do Sul, comprovou, mais uma vez, que é um dos principais eventos geradores de oportunidades comerciais e de conhecimento na América Latina. De acordo com pesquisa realizada junto a expositores e empresas compradoras, a edição deste ano teve um incremento de 43% com relação aos números verificados no ano passado. Na média, cada um dos expositores realizou 77 contatos na feira, com possibilidades de novos negócios.
 
A projeção para os próximos 12 meses chega a R$ 69,3 milhões, levando em conta a movimentação nos estandes e também as reuniões na Rodada de Negócios. “É um número significativo que demonstra, na prática, o acerto que as empresas tiveram ao participar da Mercopar. Construímos um ambiente apropriado para as negociações, reforçando este novo momento de retomada do cenário econômico. Além disso, oferecemos uma série de eventos e palestras que disseminaram o conhecimento, sobretudo na área da inovação, tecnologia e Indústria 4.0, pois as empresas precisam estar preparadas para uma nova realidade. E quem tiver maior capacidade de se adequar, sairá na frente. Os modelos de negócios tradicionais precisam ser revisados”, afirma o diretor Técnico do SEBRAE-RS, Ayrton Pinto Ramos.
 
A Mercobor ficou muita satisfeita com a sua presença na feira deste ano, como comentou o diretor da empresa, senhor Gilberto Brocco: "A Mercopar neste ano foi uma feira de menor porte porém obtivemos diversos contatos diferenciados nos quais certamente aumentaremos nosso portifolio de clientes." 
 

Fonte: Mercobor e site da Mercopar (www.mercopar.com.br)

Análise da situação econômica do Brasil

Contribuir para aumentar a produtividade  e a competitividade da indústria tem sido um exercício diário, vivido pelos empresários do setor da borracha e do plástico. O sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) vem acompanhando com preocupação o cenário de crise e de instabilidade econômica e política no País. Os escândalos financeiros se multiplicam e assistimos “seriado de horror”, com maus exemplos de conduta profissional.

 

Conforme a pesquisa Sondagem Industrial RS, divulgada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), o excesso de estoques, e ociosidade elevada e a redução de empregos, apesar do aumento da produção em alguns setores, aliado à indefinição na crise política, dificulta as expectativas de crescimento.

 

Registramos algumas notícias favoráveis, no campo econômico, que mostram uma redução ainda tímida dos juros e da inflação. Há igualmente uma destacada safra agrícola, bem como sinais de contratações com carteira assinada. De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o desempenho dos preços internacionais foi o principal fator que impulsionou o crescimento das exportações. Somente com a retomada da economia, ancorada numa agenda de reformas, consistente, teremos sinais, que estimulem investimentos. Enquanto isso, vamos aumentar a vigília e fortalecer a participação junto aos sindicatos patronais, para que tenhamos mais “voz e vez”, tanto nas escolhas dos nossos representantes, quanto no encaminhamento de reivindicações fundamentais para o crescimento do País.

 

 

Reforma Trabalhista

 

             Segundo o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (SINBORSUL), empresário Gilberto Brocco, a modernização das leis trabalhistas ocorre num momento crucial para a economia do País. A indústria precisa recuperar a sua competitividade, investir em tecnologia e voltar a contratar. Sem mudanças substanciais, que passam inevitavelmente pela atualização das leis trabalhistas, esse quadro de desemprego e falta de credibilidade nos rumos do País seguirá aumentando.

             Entre as medidas anunciadas, destaco de extrema importância para as empresas à legitimidade da terceirização, que contribuirá para o aumento de empregos. Também, o reconhecimento do acordado entre os sindicatos patronais e de trabalhadores, através das negociações coletivas, valorizando a relação entre empresas e empregados. Acredito que teremos muitos avanços, a partir dessa iniciativa, inclusive com redução de custos e mais lucratividade.

            Outro destaque é a importância de poder ter 30 minutos de almoço, que irá favorecer muitos trabalhadores, que poderão ficar mais tempo em seu lar com a família. Por outro lado, igualmente trará benefícios para as empresas, que terão menos tempo suas maquinas ligadas, representando uma economia de energia.

             O primeiro passo foi dado. Agora aguardamos que outros aconteçam com mais velocidade para que a economia possa andar nos trilhos trazendo desenvolvimento e boas perspectivas de negócios para todos os segmentos.

 

 

Empresário Gilberto Brocco

Presidente do SINBORSUL e da empresa Mercobor Ltda.

Fonte: Jornal VS, do dia 12/07/17, São Leopoldo, RS, BR.

Comentário Sobre as Reformas Trabalhistas

Representando o Sindicato da Borracha, o presidente, senhor Gilberto Brocco, também diretor  e fundador da empresa Mercobor Ltda, comentou sobre as reformas trabalhistas ocorridas nessa semana pelo atual governo do Brasil, do presidente Michel Temer.

 

“Entre as medidas anunciadas, destaco de extrema importância para as empresas à legitimidade da terceirização, que contribuirá para o aumento de empregos. Também o reconhecimento do acordado entre os sindicatos patronais e de trabalhadores, através das negociações coletivas, valorizando a relação entre empresas e empregados”. 

Gilberto Brocco

 
 

Fonte: Jornal VS, São Leopoldo, RS, BR.

Mercobor na Mercopar 2016

A Mercobor, mais uma vez, esta presente na Mercopar – Feira de Subcontratação e Inovação Industrial. Há mais de 20 anos a Mercobor é expositora nesta que é uma das feiras industriais mais longevas do país e a maior feira do segmento na América Latina, e esta em sua 25ª edição.  A feira acontece anualmente na cidade de Caxias do Sul, no estado do Rio Grande do Sul. A Mercobor visa firmar ainda mais os contatos e expandir cada vez mais a rede de clientes. Nessa edição da Feira, a empresa esta lançando sua nova linha de produtos em plastico - termoplásticos e termofixos - para soluções em engenharia. Com foco sempre na qualidade dos produtos e máxima eficiência – conforme já ocorre com as peças técnicas de borracha.

 

Um pouco mais sobre a Mercopar - Feira de Subcontratação e Inovação Industrial:

 

Mercopar e seu lugar no cenário industrial

A Mercopar reflete a capacidade do setor metalmecânico, os avanços e a qualidade da indústria, além de funcionar como termômetro do mercado, tornando-se o ponto de encontro perfeito para divulgar as inovações e elevar o patamar de competitividade das empresas.A maior feira de subcontratação e inovação industrial da América Latina aproxima empresas nacionais e internacionais, promove integração e a competitividade desses mercados, possibilitando às micro e pequenas empresas participação na cadeia produtiva de grandes grupos empresariais. A Mercopar, realizada anualmente desde 1992, é promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Rio Grande do Sul (SEBRAE/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do grupo Deutsche Messe AG.

 

O Rio Grande do Sul como endereço estratégico

A  Mercopar é realizada no Rio Grande do Sul, estado fronteiriço que possui posição privilegiada entre os países do Mercosul. É um Estado de economia diversificada e com empresas de prestígio internacional. Em Caxias do Sul está concentrado o segundo maior polo  metalmecânico do Brasil e um dos maiores da América Latina.

 

Setores

» Automação Industrial?» Borracha?» Eletroeletrônico?» Energia e Meio Ambiente?» Metalmecânico?» Movimentação e Armazenagem?» Plástico?» Serviços Industriais

Fonte: Mercobor

Nova Linha de Termoplásticos

A Mercobor vem investindo na ampliacão do seu papel no mercado atual. Assim a empresa está agora presente no mercado de plásticos, realizando produtos para engenharia com esses materiais. São  produtos de termofixos e termoplásticos que poderão ser desenvolvidos dependendo das necessidades dos seus compradores. Sempre mantendo a qualidade de seus produtos desenvolvidos, como também a sua máxima eficiência e desempenho.

 

Fonte: Mercobor

SINBORSUL recebe prêmio de Proteção Brasil 2016

SINBORSUL RECEBE PRÊMIO PROTEÇÃO BRASIL 2016

Gilberto Brocco, Diretor da Mercobor, Presidente do Sinborsul e coordenador do projeto, Dione Brocco, Diretora de Recursos Humanos na Mercobor e Daniela Felix, Executiva em Relações Sindicais do Sinborsul, foram receber o reconhecimento.

“Esse projeto que nos concedeu o Prêmio Proteção Brasil é um trabalho no qual nós somos pioneiros no país. Além de ser importante para o setor industrial da borracha, o prêmio contribui para a melhoria das condições de trabalho dos cidadãos, ao incentivar investimentos em segurança nas máquinas utilizadas no setor, reduzindo os impactos e riscos ao profissional. É uma honra trazer esse prêmio para o sindicato”, comentou Gilberto.

O trabalho sobre “Suporte Tecnológico à Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos na Indústria de Artefatos de Borracha”, desenvolvido pelo Sinborsul, foi um dos vencedores do PRÊMIO PROTEÇÃO BRASIL 2016, realizado pela Revista Proteção, que trata de assuntos relacionados à Saúde e Segurança do trabalho do Brasil. 

Em 12 anos de existência do Prêmio Proteção Brasil esta é a segunda vez que o júri decide criar uma nova categoria durante a escolha dos trabalhos e no caso específico o objetivo foi o de reconhecer o trabalho desenvolvido e de estimular que o exemplo do Sindicato possa ser seguido por mais instituições associativas do Brasil. Desta forma a premiação foi enquadrada na nova categoria: Ações Institucionais Voltadas à SST.

A entrega do troféu e a apresentação do trabalho vencedor foi durante o 12º Seminário Proteção Brasil – Aprenda Com as Empresas Que Fazem Melhor, nos dias 10 e 11 de agosto de 2016 no Expo Unimed, em Curitiba, quando também aconteceu a Feira PrevenSul 2016.

 

Fonte: Mercobor

Missão do SINBORSUL na Feira Expobor 2016

Mercobor Ind. e Com. de Artefatos de Borracha Ltda participou da missão do SINBORSUL na Feira Expobor 2016.

O Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha do Rio Grande do Sul - SINBORSUL, realizou uma missão empresarial para visitar a décima segunda edição da Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas – EXPOBOR, realizada de 28 a 30 de junho no Expo Center Norte, em São Paulo.

As empresas que participaram da missão juntamente com a Mercobor foram: Artefatos de Borracha PCR, Autotravi, Borrachas Urano, Gomasul, Inabor, Incobor, e RD-Flex.

Fonte: Mercobor

Gilberto Brocco, novamente presidente do SINBORSUL

Na noite dessa segunda-feira, Gilberto Brocco foi reeleito o presidente do SINBORSUL (Sindicato das Indústrias de Borracha do Rio Grande do Sul) para o triênio de 2016-2019. O Sindicato é um dos mais infuentes do Brasil, pois gera muita riqueza para a economia do nosso país. Na premiação estavam presentes o diretor da FIERGS (Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul), o senhor Heitor José Müller, também outros membros do Sindicato. Durante o discurso da sua posse, Gilberto Brocco, buscou enfatizar a preocupacão que o Sindicato possui em atender as necessidades das indústrias de borracha, como também a sua preocupacão com a segurança no trabalho, dos seus colaboradores. Elaborou um livro, atendendo a essa falta de informacão no mercado para todas essas indústrias estarem mais bem preparadas. Buscou avaliar as crises atuais do mercado, mostrando que podemos reverter esses dados em alguns anos, para outros mais positivos. Demonstrou muita segurança e levou novas esperanças para esse novo período de mandato. 

DIRETORIA DO SINBORSUL – GESTÃO 2016 I 2019

Presidente – Gilberto Brocco – Mercobor – São Leopoldo

Vice-Presidentes:
Arlindo Paludo- Vipal – Nova Prata
Gerson Muck – Crepesul – São Leopoldo
Sérgio Luiz Ferandin – Bins – São Leopoldo
Heraclides Freitas de Souza Filho – Novo Sul – Novo Hamburgo

Secretária: Luciana Morlin de Azevedo – Ingabor – São Leopoldo
Secretário Substituto: Andrei da Silveira Cavalli – Begebor – Bento Gonçalves 

Tesoureiro: Rubén Antonio Duarte – Rdflex – São Leopoldo
Tesoureiro Substituto: Delmar Hoff – Hoff – Portão 

Diretores:
Valdemar Cosme Tonin – Vipal – Nova Prata
Simone Mueller – Mercur – Santa Cruz do Sul

Conselho Fiscal – titulares
Gilson Rigo – Gomasul – Bento Gonçalves
Paulo Roberto do Amaral Raffo –Urano – Cachoeirinha
Lucas Leonardo – Quisvi – Roca Sales

Conselho Fiscal – suplentes
Pier Labatut – IBC – Caxias do Sul
Adilson Rigo – PCR – Bento Gonçalves
Andreas Luiz Knorr – PortoFlex – Porto Alegre

Delegados representantes junto à FIERGS – titulares
Gilberto Brocco – Mercobor – São Leopoldo
Arlindo Paludo – Vipal – Nova Prata

Delegados representantes junto à FIERGS – suplentes
Delmar Hoff – Hoff – Portão
Gerson Muck- Crepesul – São Leopoldo

Fonte: Imprensa SINBORSUL

 

Fonte: Mercobor

Gilberto Brocco, novamente, diretor do SINBORSUL

Gilberto Brocco, Fundador e Diretor da empresa Mercobor, segue à frente, como o diretor do SINBORSUL (Sindicato das Industrias de Borracha do RS) que já está atuando em prol dessas empresas há mais de 64 anos. No início de agosto, Gilberto Brocco, toma posse novamente para a gestão 2016-2019. 

O setor de artefatos de borrachas do Estado é o segundo mais importante do País, reunindo cerca de 230 empresas, que geram mais de 10 mil empregos no RS. 

 

Fonte: Jornal VS

Visita de estudantes da UCS (Campus Universitário Vale Do Caí)

A Mercobor recebeu a visita da turma de Administração de Materiais, junto ao professor Roger Puglia, nesta sexta-feira passada. A empresa incentiva iniciativas e apoia ideias como essa, onde as instituições de ensino,  interagem mais com as empresas locais. Ocorreram muitas trocas de ensinamentos, aprendizados e experiências, vindas do passeio pela empresa. O diretor e fundador da Mercobor, Gilberto Brocco, liderou a turma para conhecer um pouco mais de todos os processos e tudo o que uma empresa enfrenta no seu dia-a-dia. 

Fonte: Mercobor

Prêmio de performace em atendimento da AGCO

 A Mercobor recebeu, no mês de março, das mão do vice presidente da AGCO Sr. Gustavo Taboas e do Ricardo Lins, o prêmio de performance em atendimento com índice de PP zero .

O eng. Gilberto Brocco, diretor da Mercobor, ficou muito orgulhoso da conquista visto que poucas empresas conseguem tal prêmio. Afirmou também que o prêmio foi 

dividido com todos os colaboradores, reconheceu que isso é um incentivo ao trabalho, a luta e para sempre fazermos bem feito tudo aquilo que fizermos durante nossa vida,

independente do objetivo que queremos atingir, ele acontece naturalmente. 

 

Prêmio AGCO (Your Agriculture Company) 2016

Tempo para Semear, Encontro de Fornecedores.

 

'Este certificado é concedido a Mercobor Ind. e Com. de Art. de Borracha LTDA., pela obtenção do Prêmio Desempenho em Atendimento Pós-Venda'.

Reconhecimento pelo engajamento na melhoria da qualidade e desempenho do indicador. 

Fonte: Mercobor

Concurso Cidadão do Ano

Queridos parceiros, amigos, clientes e fornecedores, a equipe Mercobor convida a todos para votarem no nosso Fundador e Diretor Gilberto Brocco, para Cidadão do Ano, no Prêmio VS Cidadão, na categoria Empresário. 

O link para a votação é o seguinte:

http://cidadaovs.gruposinos.com.br/categorias/empresario.html

Será uma honra receber os seus estimados votos. Desde já, deixamos o nosso reconhecimento à cada um e o nosso muito obrigado! 

Ps.: lembrem de confirmar o voto no e-mail que receberem após votar no site.

 

Muito obrigado!

Att.,

Gilberto Brocco e toda Equipe Mercobor.

 

 

 

 

Fonte: Equipe Mercobor

Situação Econômica para 2016

A queda na venda de veículos no País afeta diretamente a indústria da região. De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio do Sul ( Sinborsul), Gilberto Brocco, grandes indústrias estão enfrentando problemas devido a retracão nas vendas. "Muitos associados produzem peças para as principais montadoras. Se elas não vendem os veículos, obviamente reflete na demanda da borracha e da producão, que já está bastante afetada", explica. "Isso é o resultado da crise econômica e do corte do acesso ao crédito, porque os veículos de alto desenvolvimento, ou acima de R$ 140 mil, continuam vendendo e possuem fila de espera. Os carros populares, ou de preço médio, são os que estão sobrando. As pessoas que pararam de comprar carros são aquelas de classe média para baixo, que precisam de crédito do banco."

 

Para Brocco, 2016 sofrerá ainda com algumas crises.

 

Gilberto Brocco, presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio do Sul ( Sinborsul), prevê um ano com ainda mais baixas. "Esse índice deve chegar a mais de 30% neste ano. Temos grandes empresas daqui que já fizeram milhares de demissões em seu quadro de funcionários, reduziram turnos de trabalho. Esse quadro tende a piorar para o próximo ano, porque todos todos os precos aumentaram, a luz, os insumos, o salário mínimo. Tudo. Na mesma proporcão que as vendas diminuíram. O carro qua não é vendido acaba impactando em toda a cadeia produtiva", completa.

Fonte: Segunda-Feira/ Jornal VS/ Larissa Schreiber

Mercobor presente na 24º edição da feira Mercopar

A 24ª edição da Mercopar, encerrada nesta sexta-feira (09) no Centro de Feiras e Eventos Festa da Uva, em Caxias do Sul, mostrou ser novamente um momento especial para a geração de negócios. Cerca de 400 expositores aproveitaram os quatro dias da mais importante Feira de Subcontratação e Inovação Industrial da América do Sul para prospectar oportunidades e novos mercados, mostrando muita disposição e criatividade para superar as adversidades do cenário atual.

A Mercobor está focada em realizar novas parcerias e a fomentar ainda mais o crescimento tecnológico, econômico e industrial do setor. Auxiliando e buscando sempre o crescimento e o progresso em suas parcerias.

O que é a Mercopar?

A Mercopar reflete a capacidade do setor metalmecânico, os avanços e a qualidade da indústria, além de funcionar como termômetro do mercado, tornando-se o ponto de encontro perfeito para divulgar as inovações e elevar o patamar de competitividade das empresas. A maior feira de subcontratação e inovação industrial da América Latina aproxima empresas nacionais e internacionais, promove integração e a competitividade desses mercados, possibilitando às micro e pequenas empresas participação na cadeia produtiva de grandes grupos empresariais.

Por seu perfil altamente profissional, a Mercopar atrai a visitação de empresários, compradores, vendedores, fornecedores, representantes e distribuidores, ligados aos setores de automação industrial, borracha, eletroeletrônico, energia e meio ambiente, metalmecânico, movimentação e armazenagem de materiais, plástico e serviços industriais. O crescimento dos setores que participam da Mercopar é concomitante com sua excelente performance. Na 1ª edição, em 1992, foram gerados cerca de 1 milhão de reais em negócios, que em 2013 chegaram a R$ 148 milhões, superando todas as expectativas iniciais. Este crescimento em dígitos tão expressivos demonstra a qualificação do setor e a posição da Mercopar dentre as principais feiras setoriais. O número de visitantes da Mercopar triplicou e de expositores dobrou. Este aumento de expositores só não é maior porque as empresas participantes, cada vez mais, estão ocupando espaços maiores, de acordo com os rigorosos padrões internacionais de feiras de negócios.

A Mercopar, realizada anualmente desde 1992, é promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do grupo Deutsche Messe AG.
 

Fonte: Mercobor Ltda. / www.mercopar.com.br

Qualidade é mais que um diferencial para a Mercobor

Qualidade é a palavra-chave da empresa Mercobor que define essa, como uma de suas maiores preocupações, um diferencial competitivo no mercado que hoje busca quantidade e não qualidade, muitas vezes. Em meio a grande competitividade, cada vez maior, enfrentando cada vez mais prejuízos e dficuldades tributárias, a empresa busca se destacar e se diferenciar em meio às demais, possuindo um processo de qualidade muito rígido e concreto. Veja as fotos a seguir de como isso tudo é realizado. Utilizando máquinas de última geração e passando seus produtos por diversos testes, comprovando assim, de modo concreto a sua qualidade, entregando um produto diferenciado para seus clientes.

Fonte: Mercobor Ltda.

Sinborsul na Mercopar

De acordo com o presidente do Sindicato da Indústria de Artefatos de Borracha no Rio Grande do Sul (Sinborsul), Gilberto Brocco, o sindicato está com um projeto de apoio às empresas filiadas que forem participar da 24º Feira de Subcontratação e Inovação Industrial (Mercopar), que ocorre entre 6 e 9 de outubro em Caxias do Sul. "Vamos dar ajuda financeira para cada uma das nossas empresas associadas que forem participar, como forma de incentivo. Acredito que é importante participarem desta feira para que girem a própria economia. É uma feira grande, de muita importância para o setor, então neste momento, em que várias empresas da borracha estão sendo afetadas pela crise, é fundamental encontrar alternativas", afirma. Por enquanto já são oito empresas inscritas na feira, e cada uma vai receber o subsídio de R$ 1.200,00.

Oxigênio

Outra expectativa de aumento nas vendas para o setor da borracha vem agora no final do mês com a Expointer. "A venda das máquinas agrícolas sempre mexe com o setor da borracha. Não estou dizendo que vai ser um sucesso, mas pelo menos um oxigênio para estes empresários", afirma Brocco.

Balanço

A prospecção do balanço financeiro deste ano para o setor da borracha segue sendo negativa. "Eu diria que a nossa economia para este ano está perdida. Nós não chegaremos ao final do ano a zero, vai ter até 15% a menos. Pode ter uma recuperação ainda, mas a borracha vai ficar em dívida", afirma Gilberto Brocco. "Para retomar mesmo, só na metade do ano que vem. Não vejo perspectivas a curto prazo", analisa. O presidente do Sinborsul afirma que são muitas as empresas de borracha que estão terminando com o terceiro turno ou entrando em recuperação judicial.

 

Fonte: Jornal VS - pág. 16

Mercobor também pode ser encontrada nas redes socias

Acompanhe a Mercobor também através do facebook, você ficará conectado com as novidades da empresa e do mercado, principalmente da borracha. 
Ao lado, disponibilizamos algumas fotos recentes da empresa.
 

Fonte: Mercobor Ltda.

Flexibilização

A fabricação de produtos de borracha e material plástico, assim como o setor de máquinas e equipamentos, apresentou uma arrecadação menor na região. Em junho, o desempenho, que também ficou negativo em 0,70% no comparativo com o sexto mês de 2014, demonstrou melhoras em relação aos dados de maio, que apontavam uma queda de 29% em relação ao quinto mês do ano anterior. Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado (Sinborsul), Gilberto Brocco, o faturamento do setor vem caindo desde o ano passado. "As empresas estão dando férias coletivas, reduzindo os turnos de trabalho de três para dois e remanejando o quadro de funcionários. A exportação é uma alternativa, mas os resultados positivos não aparecem logo", fala Brocco.

 

Fonte: Jornal VS - pág. 16

"Unidos Podemos superar a crise"

Entrevista: Gilberto Brocco, presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul)

No ano em que a Plastech Brasil inaugura uma segmentação de feira totalmente dedicada ao mercado da borracha e um fórum de debates específico para a indústria de transformação, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) ganha protagonismo no evento realizado em Caxias do Sul (RS), de 25 a 28 de agosto.
 
O PIB da indústria de fabricação de produtos de borracha no Brasil chega a R$10,2 bilhões, o que representa 0,99% de transformação industrial do país, que conta com um número superior a 4 mil estabelecimentos.
 
Já o parque industrial gaúcho da borracha, representado pela entidade, é o segundo mais importante do país, superado apenas por São Paulo, contando com amis de 200 empresas que geram cerca de 10 mil postos de trabalho no Estado. Os mercados pneumático, automobilístico e de peças técnicas em geral concentram os maiores investimentos do setor no Rio Grande do Sul.
 
No comando do Sinborsul pelo triênio 2013-2016, o empresário Gilberto Brocco fala nesta edição de PBmagazine - a revista oficial da Plastech Brasil - sobre o momento vivido pela indústria da borracha no Brasil e no Estado, as perspectivas econômicas, tendências tecnológicas e o engajamento no inédito Fórum Plastech Brasil, que terá programação paralela à feira contemplando os mercados de borracha, plástico, compósitos, reciclagem e transformados automotivos.
 
"O Sinborsul apoiará a feira com palestras e cursos. Temos a expectativa de aproveitar ideias do setor que possam ser aplicadas em novas tecnologias de borrachas, no sentido de podermos avançar juntos", destaca o dirigente.
 
A indústria da borracha terá dois painéis específicos voltados a ela durante a Plastech Brasil, ambos no Auditório Pietro Zanella, no Parque de Exposições da Festa da Uva, mesmo local da feira. No dia 25 de agosto, terça-feira, das 17h às 18h, abordam-se as Inovações e Tecnologias Sustentáveis para a Borracha. Já no dia 28, sexta-feira, das 10h às 12h, será realizado o Workshop tecnológico Especificação de Artefatos Técnicos de Borracha.
 
"Unidos poderemos superar a crise", enfatiza Brocco.

"O momento agora é de colocar a casa em ordem, e o crescimento econômico será um desafio permanente em 2015."

PBmagazine - Sabe-se da expressividade da produção de bandas de pneus no Esatdo. Que outros segmentos se destacam na indústria da borracha do Rio Grande do Sul?
Gilberto Brocco - De forma geral, as quedas na fabricação de automóveis influenciam diretamente no setor da borracha, já que, no mercado interno, destaca-se a fabricação de peças técnicas de borracha para a indústria de veículos automotores.

PBmagazine- Quais os principais desafios do mercado da borracha, atualmente, no Estado e no Brasil?
Gilberto Brocco - Tal qual verificado no cenário macroeconômico e no ambiente setorial da borracha no Brasil, os resultados para o Rio Grande do Sul registraram uma retração no setor durante o ano de 2014 e projeções nada positivas para 2015. O cenário econômico de 2015 é delicado e a indústria da borracha está em busca de recuperação. Com raras exceções, o setor não foge do momento econômico brasileiro: está sem recursos para investir. Entre a alta dos custos, o que mais pesa para o setor é o aumento da energia elétrica, combustível e frete. Antigamente os custos mais altos das empresas eram relacionados com os pagamentos dos funcionários, mas agora está sendo a conta de luz. Não está sendo fácil manter uma empresa e obter lucro. O momento agora é de colocar a casa em ordem, e o crescimento econômico será um desafio permanente em 2015.

PBmagazine - Como o Sinborsul tem atuado diante do poder público no sentido de ampliar o mercado para o setor da borracha? Quais os principais pleitos, avanços e obstáculos? Quais as principais ações institucionais desenvolvidas pelo sindicato?
Gilberto Brocco - Após o desfecho de retração no setor gaúcho da borracha durante o ano de 2014, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no RS vem unindo forças para driblar esse cenário. Os empresários devem frear os custos e buscar ideias para atrair novos negócios e se manterem competitivos no mercado. Neste sentido, o Sinborsul vem promovendo missões empresariais para importantes feiras, nacionais e internacionais, com o propósito de buscar novas parcerias comerciais e oportunidades.
Com a proposta de promover o desenvolvimento dos empresários e profissionais que atuam no setor da borracha, o Sinborsul, através do seu Grupo de Gestão de Pessoas (GCP), também promove palestras, cursos e apresentações de trabalho desenvolvidas pelos integrantes. O grupo reúne dirigentes e gestores de Recursos Humanos das empresas associadas, e encontra-se mensalmente na sede da entidade, para compartilhar estratégias, experiências, desafios e ideias sobre o mundo do trabalho.
Neste período crítico e de definições que a indústria está passando, a administração da área de recursos humanos surge como prioridade a fim de garantir a sobrevivência das empresas.

PBmagazine - O que está aparecendo de novidade no setor, em termos de novas tecnologias e aplicações? Que tendências se pode apontar?
Gilberto Brocco - Estamos usando borrachas termoplásticas para poder competir nestes mercados.

PBmagazines - Que diferenciais a chamada borracha verde pode oferecer ao setor e ao consumidor?
Gilberto Brocco - A borracha verde representa uma nova tendência do mercado, presente nos pneus de diversas marcas, com o objetivo de tornar o produto renovável, garantindo um desempenho equiparável aos produtos habituais, mas sem exaurir os recursos disponíveis na natureza.
A borracha e suas inovações susutentáveis reconfiguram a realidade das empresas, e são muito importantes para o setor. No entanto ainda falta intermediação entre as universidades e as empresas privadas para o desenvolvimento de projetos, pesquisas e estudos tecnológicos, pois o Brasil tem grande potencial para desenvolver produtos com base sustentável.

PBmagazine - Quais as perspectivas de futuro do setor? A sustentabilidade se encaixa de que forma neste horizonte?
Gilberto Brocco - As perspectivas não são as melhores, pois estão faltando políticas voltadas para a aindústria, que dia após dia está sendo massacrada, e o governo pensa somente em aumentar impostos.

PBmagazine - Como o Sinborsul avalia o impacto da chegada da Syntos no Rio Grande do Sul? E a partir disso, a participação da indústria da borracha gaúcha no mercado brasileiro?
Gilberto Brocco - O Sinborsul quer ver este mercado cada vez mais operante.

PBmagazine - Qual a expectativa do Sinborsul com a Plastech Brasil 2015, que passa a oferecer uma área específica ao mercado da borracha? De que forma o Sinborsul apoia a feira?
Gilberto Brocco - O Sindicato apoiará a feira com palestras e cursos. Temos expectativa de aproveitar ideias do setor que possam ser aplicadas em novas tecnologias de borrachas, no sentido de podermos avançar juntos. Acreditamos que unidos poderemos superar a crise que está instalada, pois não se vislumbra melhoras até metade de 2016.

Fonte: PB Magazine

O contexto de 2015 propicia reflexões sobre a necessidade de atração de investimentos

Com raciocínio semelhante, o presidente do Sindicato da Indústria de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul), Gilberto Brocco, que esteve na Alemanha junto com cinco empresas do setor,a Feira de Hannover é uma "oportunidade ímpar" para buscar novos mercados se essa for a estratégia visada. "Lá estão presentes vários segmentos, podemos formar joint ventures, adquirir produtos para revender no Brasil e aumentar o nosso portfólio", afirma. A experiência de seis vezes visitando o evento na Alemanha garante a Brocco, diretor da empresa Mercobor Ind. e Comércio de Artefatos de Borrachas Ltda., a segurança para afirmar que se trata de uma oportunidade para mudar o rumo de uma empresa. "As indústrias precisam sempre renovar, se atualizar, estar à frente de tecnologias que permitem um desempenho melhor em produtividade e em capacidade de criar melhorias para si e para seus clientes", observa.
Como representante de um segmento bastante importante na produção gaúcha, o presidente do Sinborsul observa que o contexto de 2015 propicia reflexões sobre a necessidade de atração de investimentos, uma vez que o Brasil enfrenta problemas econômicos. "Um olhar para a busca de parcerias com chineses, por exemplo, pode ser interessante para quando houver retomada de crescimento", recomenda. Já para o presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplas), Jaime Lorandi, Hannover é considerada uma parada obrigatória a quem deseja descobrir técnicas modernas de automação e as novas tendências mundiais.
 

Fonte: Revista Indústria em ação / FIERGS - página 11

Leopoldenses retornam de missão empresarial na Alemanha

Após uma semana dedicada para a missão empresarial que ocorreu na Feira Industrial de Hannover 2015, na Alemanha, a comitiva que foi formada por empresários leopoldenses e pelo prefeito de São Leopoldo, Anibal Moacir da Silva, retornou a São Leopoldo ontem. "Aproveitamos a oportunidade para estreitar laços comerciais entre empresas alemãs. Algumas delas manifestram o interesse de visitar São Leopoldo para conhecer o Tecnosinos. Também estou articulando uma visita de empresários para conhecerem o Distrito Industrial Zona Norte", comentou o prefeito. O presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Esatdo do Rio Grande do Sul (Sinborsul) Gilberto Brocco, destacou que as empresas Mercobor e Ingabor, ambas atuantes no setor da borracha no Município, aproveitaram para divulgar as suas marcas no evento. Também participaram da delegação, a diretora da Mercobor, Dione Brocco; o diretor da Metalcor de Novo Hamburgo, Vanderlei Musso e o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Heitor José Müller. A missão ocorreu entre os dias 12 a 18 de abril.

Vitrine para os negócios

De acordo com o gerente de operações da Ingabor, Luciana Morlin, o evento abriu novas oportunidades para a empresa que atua há 52 anos no bairro Santa Teresa em São Leopoldo. 'A missão vai surtir bons resultados futuramente. Em busca de maior competitividade estreitei laços com fornecedores da Tailândia e da China. A ideia é trabalhar em conjunto no Município leopoldense na sede da Ingabor", adiantou Luciana.

Evento destacou a inovação da indústria

O presidente da Fiergs, Heitor José Müler, avaliou que a Feira Industrial de Hannover 2015 foi um dos mais importantes encontros para negócios no mundo". Em sua 68º edição, o evento ao abordar o tema da indústria Integrada - Junte-se à rede - apresentou muito conhecimento e inovação voltada para a indústria 4.0. "Os empresários têm buscado se manter competitivos no mercado ainda mais com essa crise que a economia brasileira está enfrentando", comentou o presidente da Fiergs. No total, o evento reuniu 28 pavilhões que foram distribuídos em: Automação Industrial; Fornecimento Industrial; Tecnologias Móveis; Transmissão de Força e Controle; Pesquisa & Tecnologia; Tecnologia de Superfície e Energia Eólica, entre outros.

Contatos Comerciais

Gilberto Brocco projeta a organização de mais uma missão empresarial na Feira Industrial de Hannover para 2016. "A ideia é reunir mais empresas em 2016 voltadas ao setor para também participarem da próxima comitiva. Essa atividade é muito favorável aos negócios porque aproxima os empresários e fortalece a cadeia de borracha", declarou. Conforme Dione Brocco, a missão projetou futuras parcerias entre a Mercobor e empresas alemãs, "A feira reuniu um leque de opções e novidades da indústria. Durante o evento foram feitos contatos comerciais entre os empresários participantes".
 

Fonte: Jornal VS - Dayane Mascitti

Missão na Alemanha

São Leopoldo está representada em missão empresarial na Feira Industrial de Hannover na Alemanha. Um dos integrantes da comitiva é o prefeito da cidade, Anibal Moacir da Silva, ao lado de lideranças da indústria gaúcha como o empresário e presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul), Gilberto Brocco e o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Heitor José Müller. Entre as 15 empresas gaúchas participantes na delegação estão duas de São Leopoldo: Amissão se iniciou no sábado e seguirá até o próximo domingo.
 
Competitividade
 
Gilberto Brocco destaca que com a retração de 15% que o setor da borracha registrou no ano passado, a saída para driblar esse recuo na economia está sendo buscar novas parcerias comerciais. "Essa viagem foi programada ao longo de 2014. A proposta dos empresários é buscar as novidades que a Hannover oferece, além de divulgar a marca".

Vale do Silício
 
São Leopoldo também é divulgada em outra atividade no exterior. Representantes da Neteye e Defenda, com sede no Tecnosinos, seguem desde 4 de abril em missão empresarial no Vale do Silício. Ambas foram as únicas da cidade contempladas a participarem da atividade promovida pelo Sebrae.

Fonte: Jornal VS

Indústria fecha 2014 com 2,8% de retração

Retração na Borracha

O presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (SINBORSUL), Gilberto Brocco, diz que "a borracha encerrou o ano passado com queda de 15% em sua produção no Estado. Isso é reflexo da queda da produção industrial automotiva". Brocco revelou que sua fábrica, a Mercobor, é exemplo desse cenário. "Tive que reduzir 20% do quadro de funcionários. O faturamento enxugou 15%".

O ano mal se iniciou e as pesquisas de mercado já apontam recuo na economia. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou ontem que a produção da indústria brasileira caiu 2,8% em dezembro - na comparação com o mês anterior- e encerrou o ano de 2014 com queda acumulada de 3,2%. Entre os setores, as principais influências negativas foram registradas por veículos automotores e coque, produtos para reboques e carrocerias (-5,8%), máquinas e equipamentos (-8,2%), produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,5%). No acumulado de (-16,8%) da produção de veículos automotores, reboques e carrocerias é o pior resultado desde o início da série, iniciada em março de 2002. Como reflexo do setor automotivo está a metalurgia (-7,4%), produtos de metal (-9,8%), máquinas e equipamentos (-5,9%), outros produtos químicos (-3,6%) e máquinas, aparelhos e nos produtos elétricos (-7,2). "Há predominância de resultados negativos. Esse é o pior resultado desde 2009, quando a retração foi de 7,1%. Frente a dezembro de 2013, a queda foi de 2,7%", disse em nota o gerente da Coordenação da Indústria do IBGE, André Luiz Macedo.

Cadeia Produtiva

O economista, contador e consultor do Sebrae Regional Sinos, Caí e Paranhana, Geraldo Scheffel, avaliou qua a queda na produção industrial no setor automotivo se reflete em toda a sua cadeia produtiva. "A borracha, metalurgia, eletroeletrônico acaba sofrendo com o baixo impacto do setor automotivo. As micros e pequenas empresas que são fornecedores desses produtos também sofreram com essa retração". Conforme Scheffel a alta carga tributária contribuiu para esse resultado negativo. "Está faltando incentivo fiscal para que o empresário possa investir".

Retração e demissões no setor produtivo

O vice-presidente de Indústria da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (Acis) de São Leopoldo, Cleomar Prunzel, destacou que os dados do IBGE ilustram o quadro negativo que o setor industrial vinha anunciando ao longo de vários meses. "Há 12 trimestres a indústria está em um ritmo  de estímulos como de recessão". Com a eliminação de estímulos como o IPI reduzido, tanto as indústrias como os consumidores foram impactados. "Os pátios das montadoras lotados de veículos e as demissões no setor produtivo são os sinais mais preocupantes dessa realidade", avaliou. Ele acrescenta ainda que, com a economia da Argentina - grande parceiro comercial do Brasil - se agravando, haverá prejuízo ainda maior nas exportações de manufaturados.

 

Fonte: Jornal VS - Dayane Mascitti

Alerta para projeção de PIB negativo no País

A projeção oficial do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) possa ser negativo em 2015, surtiu preocupação na classe empresarial da região. Dirigentes temem que interfira nos postos de emprego. Segundo o economista e professor do curso de Ciências Econômicas da Unisinos, Marcos Tadeu Caputi Lélis, o primeiro trimestre será de tentativa de equilíbrio das finanças governamentais do País. " Infelizmente ao que tudo indica a retração dos investimentos pode ser agravada em 2015 pelo risco de racionamento de energia no sudeste. Em consequência disso, aumentará exorbitantemente a tarifa de energia elétrica". O diretor tesoureiro do Sindimetal, Sérgio de Bortoli Galera, afirma que "a indústria vive uma fase delicada. Entraves como a expressiva elevação de juros, mais impostos, a retirada de incentivos e o aumento da tarifa de energia estão corroendo o dia a dia das empresas. O crescimento econômico será um desafio permanente em 2015".

Opinião de Gilberto Brocco:

Mais Custos

Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul), Gilberto Brocco, o setor registrou uma retração de 15% no ano passado. "As projeções não são positivas para 2015. Infelizmente os custos aumentaram e tudo isso é consequência da inflação. O aumento da conta da energia elétrica vai afetar o setor financeiro das empresas. Antigamente os custos mais altos das empresas eram relacionados com os pagamentos dos funcionários, mas agora está sendo a conta de luz. Não está sendo fácil manter uma empresa e obter lucro".
 

Fonte: Jornal VS - Dayane Mascitti

Missão leva empresários para a Alemanha

Após o desfecho de retração de 15% que o setor da borracha no Estado registrou no ano passado, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) une forças para driblar esse cenário. Uma das ações que promete estimular os empresários e profissionais que atuam no setor é a preparação para a Missão Empresarial rumo à Feira Industrial de Hannover que ocorrerá entre os dias 11 e 19 de abril na Alemanha. "Cada empresa associada ao Sinborsul que tiver o interesse em participar dessa missão receberá um auxílio de custo de R$ 2.500,00. Essa quantia é fruto de uma poupança que cada empresa possui na entidade", destacou o presidente do Sinborsul, Gilberto Brocco. Segundo Brocco, o evento será uma excelente oportunidade para buscar conhecimento e fazer contatos comerciais. "Essa iniciativa ocorrerá com a proposta de incentivar os profissionais que atuam no setor. A Feira de Hannover é uma vitrine para os negócios. Estarei participando dessa missão como presidente do Sinborsul e também na posição de empresário. Temos que reagir a esse pessimismo atual da economia buscando conhecimento", afirma. Mais informações no Sinborsul, localizada na Rua José bonifácio, 204, conjunto 701, Centro de São Leopoldo, ou pelo telefone 3592-9460.

Inovação na feira que em 2014 teve visitantes de cem países

A Feira Industrial de Hannover é um dos mais importantes encontros mundiais para negócios, Somente em 2014 foram registrados mais de 180 mil visitantes de mais de cem países nos pavilhões da Hannover Messe, a empresa que controla o evento. Para essa edição de 2015, entre expositores, palestras, reuniões, seminários, demonstrações e visitas, os organizadores estimam mais de 4,5 milhões de interações entre o público.

Inscrições abertas para grupo de gestão

Com a proposta de preparar os empresários e profissionais que atuam no setor da borracha no Estado, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) criou recentemente o Grupo de Gestão de Pessoas (GGP). "O GGP promove troca de experiências pessoais e profissionais através de palestras, cursos e apresentações de trabalho desenvolvidos pelos integrantes", explica o presidente do Sinborsul, Gilberto Brocco. De acordo com Brocco, os participantes do GGP aproveitam a oportunidade para tratarem sobre diversos temas como inovação, interatividade e competitividade no mercado. Brocco afirma que o grupo é composto por profissionais da área de recursos humanos das empresas associadas que reúnem-se mensalmente na sede da entidade. Para participar dessa iniciativa é preciso entrar em contato com o Sinborsul.
 

Fonte: Jornal VS - Dayane Mascitti

Indústria da borracha deve ter um ano difícil

Por vários fatores o ano de 2014 não foi muito bom para a indústria da borracha no Estado. As medidas econômicas, a Copa do Mundo, a falta de incentivo do governo federal foram algumas das causas que contribuíram de forma negativa no setor da produção de borracha. De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul), Gilberto Brocco, normalmente o mercado registra queda de 5%, a 6% ao ano. "Em 2014, no total tivemos um prejuízo de 15% a 21% do faturamento", destaca."A Copa do Mundo tirou um mês de faturamento de todos. Para recuperar o faturamento de um mês é muito difícil. Também o BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) não emprestou dinheiro no ano passado, em função de que os projetos demoravam a ser liberados. Não teve crescimento na indústria, trancou o mercado.Todos os setores foram atingidos". Brocco prevê, que assim como 2014, esse ano também não será fácil para a indústria: "Vai ser um ano difícil. O governo já está assinalando os juros. O BNDS vai elevar as taxas de financiamento de 3% para 11%, dificultando ainda mais o setor. Teremos que buscar novos investimentos para a indústria. Vai haver uma recessão. Nas empresas automobilísticas, com a retirada do IPI (Imposto sobre Produtos Industrialiazados) haverá uma redução nas vendas, e isso acaba afetando todo o setor da borracha. Muitoas empresas trabalham somente para esse setor. Se não tiver incentivo do governo federal, o setor também sofre muito. Somos afetados por tabelinha". Para Brocco, 2015 será o ano para equilibrar a indústria. "Esse ano acreditamos que não vai ser bom. Será um ano para fazer a recuperação, se manter estável e vivo. As perspectivas são muito ruins porque o governo federal não vai ter muito atitude para tomar. Vamos torcer que consigamos ter um bom ano". Brocco ainda diz que é preciso rezar para que melhore o tempo para o setor agrônomo, pois assim, terão que comprar mais maquinário, e isso possibilita uma melhora na produção da borracha.

Promoção do Crescimento conjunto

Em função da queda no setor e também por outras medidas, foi criado em dezembro do ano passado o Comitê Setorial da Borracha - PGQP, com o objetivo de construir um polo de empresas do setor com alto padrão de qualidade em gestão, produtos e serviços, visando a geração de excelência e maior competitividade. Brocco explica que o Comitê é fechado para empresas, e tem como proposta prpjetar metas e promover o crescimento conjunto. Uma vez ao mês é feita reunião na sede do SINBORSUL (Rua José Bonifácio 204 - cj. 701 - São Leopoldo) com os integrantes, para discussão de temas relacionados à área. "Vamos fazer uma reunião de metas para 2015, onde pretendemos ter uma participação maior em feiras. Queremos fazer feiras como a Mercopar, também queremos levar um comitê de 20 empresas para a feira de Hanôver, em abril. Com essas empresas e com os outros setores queremos buscar um crescimento conjunto", salienta Brocco.

Grupo de Gestão de Pessoas

Além do Comitê Setorial da Borracha, o Sinborsul também conta com o Grupo de Gestão de Pessoas (GGP), criado há três anos. O objetivo é debater sobre pessoas, processos e tecnologia no contexto da Gestão do Conhecimento nas organizações, contratação, pagamento, entre outros. O grupo é formado por profissionais da área de Recursos Humanos das cerca de 20 empresas associadas, e realizam mensalmente reuniões na sede do Sinborsul. "Tem dado bons resultados a integração entre o pessoal de todas as empresas e a troca de ideias entre elas. Hoje o importante é a empresa não  gerir sozinha. É um grupo muito importante e as empresas têm gostado do trabalho que estamos fazendo. Gostaríamos que mais empresas participassem porque fortalece o setor e as empresas". Para participar do GGP é preciso entrar em contato com o Sinborsul pelo número (51) 3590-7733.
 

Fonte: Jornal VS - Ana Paula Figueiredo

Sinborsul encerra o ano com queda de 15% na produção

Representar as indústrias de todos os portes do setor da borracha do Rio Grande do Sul é a missão do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul), que após registrar queda no desempenho do setor em 2014, a entidade projeta recuperação para o próximo ano. "O segmento da borracha está encerrando o ano com retração de 15% na produção da borracha. Vamos traçar propostas que incentivem, ainda mais, a busca constante ao conhecimento e para a divulgação dos produtos das empesas filiadas ao Sinborsul", destacou o presidente do Sinborsul e empresário Gilberto Brocco. O dirigente avaliou que "as paradas coletivas" que ocorreram no período da Copa do Mundo influenciaram para o resultado negativo. "As indústrias pararam por um mês, durante a Copa. Neste período, a produtividade ficou parada e agora o setor está sofrendo as consequências. Ocorreu o acúmulo de estoques e baixa na competitividade", declarou. Brocco adiantou que serão promovidas feiras e missões empresariais em 2015. "Vamos promover uma missão empresarial em abril para Hannover na Alemanha e também participaremos da Mercopar 2015 em outubro", projeta Brocco.

O presidente do Sinborsul, Gilberto Brocco, lançou recentemente a cartilha de Suporte Tecnológico à Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos na Indústria de Artefatos de Borracha para instruir as empresas filiadas ao Sinborsul em todo o Estado. "A cartilha é baseada na Norma Regulamentadora do Trabalho NR 12. Esse material foi elaborado com o propósito de reduzir os riscos e os custos relativos aos acidentes do trabalho. Um dos itens recomendáveis é a utilização dos equipamentos de segurança sempre", explicou. A cartilha está disponível na sede do Sinborsul, localizado na Rua José Bonifácio 204 - conjunto 701, no Centro de São Leopoldo, para empresas filiadas a entidade, informações pelo telefone 3590-7733.

Atuação no Estado

Fundada em 1952 e com sede em São Leopoldo, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul), presidido pelo empresário Gilberto Brocco é a entidade representativa, em âmbito estadual, do segundo proncipal polo transformador de artefatos de borracha do País. Atuam no setor aproximadamente 220 empresas filiadas que geram cerca de 10,5 mil postos de trabalho no Estado.

Site do Sinborsul: http://www.sinborsul.com.br/content/index.php

Entrevista com Gilberto Brocco (Presidente do Sinborsul, Diretor da FIERGS e proprietário da empresa Mercobor ltda)

Qual é a perspectiva do Sinborsul para 2015?

Conseguir recuperar a economia do setor da borracha que está em queda. Na primeira quinzena de janeiro será promovido uma reunião para discutir o planejamento de ações para 2015.

Como o senhor avalia a atuação do Sinborsul para o setor?

Trabalhamos para orientar os nossos associados. Desta forma, buscamos orientá-los com a realização de palestras e encontros. O nosso foco é fortalecer o setor da borracha no Município leopoldense e em todo o Estado.

O que será feito em 2015 para incentivar a capacitação empresarial?

Seguiremos com as propostas de reunir associados para participarem de feiras e missões como ocorreu em 2014. Empresas de São Leopoldo como a Bins, Ingabor, entre outras participaram da Feira K na Alemanha. Neste ano estaremos presentes na Mercopar em Caxias do Sul, além dos cursos de capacitação que ocorrerão em parceria com o Sebrae.

 

 

 

Fonte: Dayane Mascitti para o Jornal VS

Sinborsul lança cartilha para reduzir custos

O Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) lançou na última quinta-feira a Cartilha de Suporte Tecnológico à Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos na Indústria de Artefatos de Borracha. O evento reuniu empresários e contou com a participação do presidente da Fiergs, Heitor José Müller, no Centro das Indústrias. "Essa cartilha servirá de instrumento de orientação às empresas, aos profissionais e demais agentes envolvidos com a indústria de artefatos de borracha", registrou o presidente do Sinborsul e empresário Gilberto Brocco.

Segundo Brocco, a cartilha foi elaborada com o propósito de reduzir os riscos e os custos relativos aos acidentes do trabalho. Pioneira no País, o projeto Suporte Tecnológico à Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos na Indústrias de Artefatos de Borracha trará benefícios imensuráveis para toda a cadeia produtiva do setor. Segundo o presidente da Fiergs, Heitor José Müller, na prática, a cartilha é uma importante ferramenta a serviço do desejável aumento da produtividade das fábricas de menor porte do segmento de artefatos de borracha.

Fonte: Segunda-feira, 1º.12.2014 / JORNAL VS

SINBORSUL e parceiros lançam uma cartilha inédita no país sobre segurança no trabalho

Nessa quinta-feira, dia 27 de novembro, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) lançou a cartilha de Suporte tecnológico à segurança do trabalho em máquinas e equipamentos na indústria de artefatos de borracha.

 

A iniciativa, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), FIERGS, FIERGS / Procompi, SEBRAE e o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), teve lugar no Centro das Indústrias, em São Leopoldo, às 20h. A mesma foi prestigiada pelo presidente da FIERGS, industrial Heitor José Müller, além de contar com lideranças municipais, empresariais e sindicatos do Rio Grande do Sul.

 

Segundo o presidente da Sinborsul, empresário Gilberto Brocco, coordenador deste trabalho, a cartilha foi elaborada com o propósito de reduzir os riscos e os custos relativos aos acidentes do trabalho. "Pioneira no País, o projeto Suporte Tecnológico à Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos na indústria de Artefatos de Borracha trará benefícios imensuráveis para toda a cadeia produtiva do setor", afirma.

 

Visando a busca de soluções viáveis nesta área, a comissão contou com a orientação de consultoria especializada em segurança do trabalho, além da expertise de profissionais de empresas de artefatos de borracha, de fabricantes de máquinas, de representantes dos sindicatos dos trabalhadores e da Superintendência Regional do Trabalho e do Emprego. Os principais recursos utilizados no setor foram identificados, tendo sido testadas alternativas de soluções para garantia de segurança na operação destes equipamentos.

 

"Temos convicção de que este trabalho cooperado, na forma de uma ComissãoTriparte, servirá de instrumento de orientação às empresas, aos profissionais e demais agentes envolvidos com a indústria de artefatos de borracha", destaca o presidente Brocco. "Garantir mais segurança no trabalho é, sem dúvida, uma valiosa contribuição para o desenvolvimento econômico e social deste segmento industrial, que poderá ser uma referência para a melhoria tecnológica de toda a indústria brasileira", enfatiza.

 

SAIBA MAIS

 

Fundada em 1952 e com sede no município de São Leopoldo, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) presidido pelo empresário Gilberto Brocco é a entidade representativa, em âmbito estadual, do segundo principal polo transformador de artefatos de borracha do País. Atuam no setor, aproxidamente 250 empresas filiadas, que geram cerca de 10.500 postos de trabalho no Estado.

 

Mais informações sobre o Sinborsul poderão ser obtidas através do site www.sinborsul.com.br ou pelo telefone (51) 3590-7733

 

Fonte: Jornalista Neusa Medeiros

Crise na Argentina reflete na Economia do Estado

A crise que a Argentina vem enfrentando nesse último semestre trouxe reflexos para a economia brasileira e do Rio Grande do Sul. Um dos setores mais afetados é a produção das montadoras brasileiras, que apresentou 16,8% de queda, entre os meses de janeiro a setembro de 2014. Segundo o presidente do Sindicato de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul) e diretor da indústria da borracha leopoldense Mercobor, Gilberto Brocco, não foi somente a produção de veículos que sofreu os efeitos. "A produção da borracha do Estado gaúcho também está perdendo por conta da crise da Argentina. A produção da borracha gaúcha caiu 15% nesse primeiro semestre do ano. A Argentina comprava componentes para fabricação de carros e pneumáticos e hoje perdemos esse parceiro comercial", explicou Brocco que também é diretor da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs/RS). Brocco revelou que na sua fabrica, a Mercobor, situada no bairro Scharlau em São Leopoldo, a produção vai fechar o ano com queda de 17%.

O economista e professor de pós-graduação da Unisinos, Igor Morais, avalia que o cenário para 2015 não é muito diferente e deve colocar em risco as exportações. "A Argentina era um grande parceiro comercial do Rio Grande do Sul. O país comprava produtos petroquímicos, máquinas, equipamentos agrícolas e calçados. A crise na Argentina está prejudicando a indústria gaúcha. Devido a retração da economia na Argentina os investimentos no Rio Grande do Sul e no País tiveram queda expressiva", explicou o economista.

Fonte: Dayane Mascitti para o Jornal VS

Gilberto Brocco, presidente do SINBORSUL homenageia colaborador pelos 25 anos de trabalho

O colaborador Flávio Friedrich foi homenageado pelo presidente do Sinborsul, Gilberto Brocco, e pela diretoria em reunião ocorrida ontem, 09 de outubro, na sede da entidade. O motivo da homenagem foi o aniversário de 25 anos de trabalho no Sinborsul, comemorado no último 01 outubro. O presidente fez um resgate da história do colaborador, lembrando que o Sindicato patronal faz a luta na categoria. 'Só com a união conseguiremos avançar. O Sindicato é uma ferramenta de luta das indústrias nesse sentido. De nada adianta termos uma diretoria combativa se não temos uma categoria que venha junto conosco e por isso nossa luta é também por ampliar e renovar nossa base de associados que atuando numa entidade de classe, torna a nossa força muito maior", disse Brocco". São tarefas complexas, a serem conduzidas pelos executivos sindicais, que, seguramente, estão fazendo tudo ao seu alcance para levar a cabo essa empreitada. Devemos ressaltar, finalmente, nesta hora de alegria e reconhecimento, que, em todos os momentos de nossa luta, nesses 25 anos, sempre pudermos contar com a inestimável ajuda desse profissional", completou o presidente do Sinborsul, Gilberto Brocco.

Fonte: Divulgação SINBORSUL

Mercobor esteve presente na 23º Feira Mercopar

A Mercobor esteve presente na 23º Feira Mercopar, realizada anualmente na cidade de Caxias do Sul, situada no extremo sul do estado do Rio Grande do Sul. A feira oferece boas oportunidades para a realização de novos negócios e divulgação das empresa para os diversos setores da indústria, promovendo assim a integração da indústrias e possibilitando novos negócios e contatos.

Fonte: Mercobor

Mercopar e seu lugar no cenário industrial

A Mercopar reflete a capacidade do setor metalmecânico, os avanços e a qualidade da indústria, além de funcionar como termômetro do mercado, tornando-se o ponto de encontro perfeito para divulgar as inovações e elevar o patamar de competitividade das empresas.

A maior feira de subcontratação e inovação industrial da América Latina aproxima empresas nacionais e internacionais, promove integração e a competitividade desses mercados, possibilitando às micro e pequenas empresas participação na cadeia produtiva de grandes grupos empresariais.

Por seu perfil altamente profissional, a Mercopar atrai a visitação de empresários, compradores, vendedores, fornecedores, representantes e distribuidores, ligados aos setores de automação industrial, borracha, eletroeletrônico, energia e meio ambiente, metalmecânico, movimentação e armazenagem de materiais, plástico e serviços industriais.

O crescimento dos setores que participam da Mercopar é concomitante com sua excelente performance. Na 1ª edição, em 1992, foram gerados cerca de 1 milhão de reais em negócios, que em 2013 chegaram a R$ 148 milhões, superando todas as expectativas iniciais. Este crescimento em dígitos tão expressivos demonstra a qualificação do setor e a posição da Mercopar dentre as principais feiras setoriais. O número de visitantes da Mercopar triplicou e de expositores dobrou. Este aumento de expositores só não é maior porque as empresas participantes, cada vez mais, estão ocupando espaços maiores, de acordo com os rigorosos padrões internacionais de feiras de negócios.

A Mercopar, realizada anualmente desde 1992, é promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do grupo Deutsche Messe AG.

Fonte: http://www.mercopar.com.br/a-mercopar/

 

Fonte: Mercobor Ltda / Site da Feira Mercopar

Sinborsul anuncia queda de 15% no setor da borracha e algumas empresas já sofreram retração de 40%.

A projeção de economistas e analistas do mercado de que o País enfrentaria um ano de queda na produtividade industrial vem sendo constatada através de pesquisas. Recentemente o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a indústria brasileira teve queda de 0,7% no emprego em julho, na comparação com junho desse ano. Essa sondagem relatou que o maior baixo crescimento estava relacionado com o setor de veículos, que sofreu forte retração nesse período. Esse cenário de pessimismo na produção industrial está refletindo na indústria da borracha do Estado. "O setor da bio do setor da borracha teve uma queda de 15% na produção da borracha no Rio Grande do Sul. Temos indústrias filiadas ao Sinborsul, sou empresário do setor e estou sofrendo esses reflexos de retração", disse o presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul) e diretor da indústria da borracha leopoldense Mercobor, Gilberto Brocco.

Baixo Desempenho

O economista, professor de pós-graduação da Unisinos e assessor econômico do Sinborsul, Igor Morais, destacou que uma série de fatores constribuíram para o baixo desempenho do setor da borracha. "A indústria da borracha é fornecedor para a cadeia produtiva de automóveis e veículos. Da borracha surge os pneumáticos e artefatos que são destinados a vedação de equipamentos automotores. Mas como o setor de veículos está em queda consequentemente o da borracha também sofreu desaceleração", descreveu Morais.

Reflexos da Copa

Gilberto Brocco destacou que "as paradas coletivas" que ocorreram no período da Copa do Mundo também influenciou para o resultado negativo na indústria. "As indústrias pararam por um mês, durante a Copa. Neste período, a produtividade ficou parada e agora está sofrendo as consequencias. Ocorreu o acúmulo de estoques nas indústrias e com isso as mesmas ficaram menos competitiva no mercado", disse. Brocco avaliou que os industriários do setor da borracha estão pessimistas. "A indústria do setor está demitindo e não existe previsão de ânimo para esse final de ano. Até em 2015 será difícil de reverter esse quadro".


Crise na Argentina

Morais descreveu que a crise na Argentina está impactando para o atual cenário de retração na indústria gaúcha. "A Argentina é um grande parceiro comercial do Rio Grande do Sul e tudo isso porque o país compra produtos petroquímicos, máquinas, equipamentos agrícolas e calçados do Brasil. A crise que a Argentina está enfrentando está prejudicando a indústria gaúcha. Devido a retração da economia na Argentina os investimentos no Estado e no País obterem queda expressiva. Além disso, o câmbio valorizado prejudica a economia gaúcha porque é muito voltado às exportações", disse o economista.

Cautela na Economia

O diretor executivo do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo(Sindimetal), Valmir Pizzutti, destacou que a classe empresarial de São Leopoldo está em estado de alerta."Esse cenário é muito preocupante. Essa queda no emprego é consequência da queda de produtividade industrial. Os empresários estão com receio de investir e com isso está ocorrendo diminuição nos negócios. Sem lucro e com baixa confiança resultou no desemprego. "Pizzutti ressaltou ainda que para o próximo ano o cenário será de cautela.
 

Fonte: Dayane Mascitti para o Jornal VS

Cerimônia de Posse da nova diretoria da FIERGS 2014

O diretor da Mercobor Ltda e da SINBORSUL (Sindicato Das Indústrias de Borracha do Rio Grande do Sul), senhor Gilberto Brocco, agora faz parte da nova diretoria da FIERGS (Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul) do ano de 2014. Essa diretoria possui a missão de liderar, representar e desenvolver o setor industrial, na construção do futuro do Rio Grande do Sul e do Brasil. Fazendo parte de um seleto e restrito grupo de grandes empresários e profissionais do estado, tendo responsabilidades designadas a análise e crescimento das indústrias de diversos setores e também de proporcionar um maior desenvolvimento econômico no Estado do Rio Grande do Sul e em todo o país. A seguir estão fotos do dia da posse do diretor Gilberto Brocco. Na cerimônia de posse estavam presentes além dos principais empresários do estado, o diretor da FIERGS, senhor Heitor José Muller, a atual presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, como outros grandes nomes dos cargos políticos do Estado, como o atual governador do Estado, Tarso Genro e o prefeito de Porto Alegre, senhor José Fortunati. A noite foi marcada por apresentações culturais, muitos debates e propostas ditados pelo atual diretor da FIERGS, Heitor José Muller,  e principalmente pela atual presidenta do Brasil, Dilma Rousseff. Todos os comentários se tornaram para a importância das indústrias no crescimento econômico e como o Brasi depende delas. Foi comentada a obtenção de um maior investimento no setor industrial para manter o país em bom funcionamento e como muitas outras áreas irão se beneficiar com essas mudanças, realizando um ciclo de qualidade para a vida dos brasileiros e das indústrias consequentemente. Gerando mais oportunidades de emprego, educação, infra-estrutura, diminuição da renda do estado para os cargos públicos, melhorando a logística dos produtos e a qualidade dos trabalhadores. Com um maior investimento nas indústrias, o Brasil poderá ser um maior competidor internacional, ajudando a impulsionar os lucros referentes a importação e a sua exportação, entre outras coisas.

Fonte: Mercobor Ltda

Gilberto Brocco integra a nominata eleita, na função de diretor da FIERGS

O industrial Heitor José Müller foi reeleito para a presidência da Federação e do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS/CIERGS) para o período 2014/2017. As eleições, em chapa única, ocorreram na última terça-feira (20), na sede da entidade. O presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha do Estado do Rio Grande do Sul (SINBORSUL), Gilberto Brocco, também integra a nominata eleita, na função de diretor da FIERGS. O Sinborsul tem sede em São Leopoldo e sua base territorial, de âmbito estadual, compreende mais de 300 indústrias. Segundo Gilberto Brocco, a sua ação na nova gestão da Fiergs no próximo triênio será focada na busca do desenvolvimento sustentável do setor, num trabalho integrado com as demais entidades da cadeia produtiva. Também defende a importância da união de entidades da cadeia produtiva. Também defende a importância da união das entidades de diferentes setores na busca por soluções de questões comuns. "Individualmente, somos muito frágeis. Os setores que se dão conta disso mais cedo, conquistam resultados mais rápido", opinou Brocco. A posse das diretorias ocorrerá no mês de julho.

Fonte: Divulgação SINBORSUL

Paradas da Copa colocam setor em alerta

O consumo da borracha em 2013 aumentou 14,8% e a sua produção cresceu 1,4% no País. Os dados referem-se ao estudo promovido pelo Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul) divulgado na última sexta-feira. Porém surge um alerta na economia para o setor: A realização da Copa do Mundo, de certa forma, vai acabar diminuindo as horas trabalhadas indústrias. Devido as paradas coletivas referentes ao mundial. Essas horas não trabalhadas podem influenciar na produção", alertou o economista e professor do Programa de Pós-graduação e Economia da Unisinos e consultor econômico do Sinborsul, Igor Morais. Para o decorrer desse ano de 2014, é recomendável ficar no nível de investimento segundo o economista. A pesquisa comprova que o indice de Confiança da classe empresarial do setor da borracha apresentou queda no ano passado. "O nível de confiança permaneceu em queda em 2013 indicando pessimismo para o setor de borracha. Entre os indicativos que contribuem para o pessimismo estão juros apresentando alta para o mercado e o maior individamento das famílias", afirmou Morais.

Paradas da Copa colocam setor em alerta

Entrevista com o proprietário, engenheiro, diretor Gilberto Brocco da empresa Mercobor Ltda.

O presidente do Sinborsul e empresário de indústria do setor da borracha, Gilberto Brocco, revelou um sentimento de pessimismo para o setor em 2014, apesar do bom rendimento de 2013. "Esse ano não está apresentando bons resultados. A expectativa é de recuperação, mas com as paradas coletivas que ocorrerão em junho devido aos jogos da Copa do Mundo as chances de aumentar a produção não se confirmam. Teremos prejuízos em nível de produção", disse Brocco. Em março de 2013 a Selie estava em 7,25% e o processo de elevação da mesma ainda não tinha iniciado. Desde então os juros aumentaram mais de 3,5 pontos percentuaus e com sinalização de continuidade até meados do ano de 2014. Ou seja, ainda há impactos sobre a atividade produtiva que devem vir do aumento de juros no primeiro semestre desse ano.

Já de olho em 2015

Deacordo com o economista, Igor Morais, a preocupação maior recai sobre o desenho macroeconômico do País na entrada de 2015, o que irá depender do resultado das eleições e de configuração do novo governo com a proposta de política econômica. "A necessidade de ajustes no campo fiscal e no balanço de pagamento, além dos choques negativos esperados com o aumento de juros nos Estados Unidos, e a necessidade de enfrenatr as pressões inflacionárias, serão os maiores desafios para o próximo ano", sinaliza.

Palestras

"As palestras sempre são bem-vindas, porque servem como orientação a empresários e profissionais que atuam no setor.Entre os temas abordados sempre busco manter todos atualizados com o que está acontecendo no mercado. É uma grande oportunidade até para trocarem experiências", destacou Morais.

 

Fonte: Dayane Mascitti para o Jornal VS

Sindicato da Borracha do RS confirma ações para 2014

Representar as empresas de todos os portes do setor da borracha do Rio Grande do Sul é a missão do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha do Estado do RS (Sinborsul), que iniciou o ano de 2014, com novas perspectivas de trabalho. O presidente do Sinborsul/RS, Gilberto Brocco, destacou que o ano de 2014 será repleto de realizações."Trabalhamos fortemente em ações relacionadas com a segurança no interior das indústrias que operam em todo o  Rio Grande do Sul na área da borracha. O foco principal foi a Norma Regulamentadora de Máquinas e Equipamentos de Uso em Geral da Indústria, conhecida como NR-12.A iniciativa foi aceita pelos empresários e trabalhadores do setor". Brocco complementou que a NR-12 atua como forma de incentivar às indústrias como se adequarem às regras de segurança. "Com base na importância da NR-12 temos como missão publicar uma cartilha de orientação em 2014 dirigida aos empresários e trabalhadores do setor da borracha", comentou. O Sinborsul que está sediado em São Leopoldo na Rua José Bonifácio 204-cj. 701, no Centro da cidade, possui 230 empresas associadas a entidade em todo o Estado.

Entrevista com Gilberto Brocco:

Jornal VS - Qual será o grande desafio para 2014?

Gilberto Brocco- O desafio é constante, mas especialmente para este ano de 2014 estaremos voltados para uma série de atividades todas direcionadas para questões de segurança e capacitação no nosso setor, como a criação da cartilha que orientará sobre a importância da Norma Regulamentadora de Máquinas e Equipamentos de Uso em Geral da Indústria.

Jornal VS - Qual é a sua expectativa referente ao crescimento da produção da borracha?

Gilberto Brocco- Para 2014, a expectativa é atingir aproximadamente 12% no crescimento na produção no setor.

Jornal VS - Como o senhor avalia a atuação do Sinborsul para o setor?

Gilberto Brocco- Trabalhamos para orientar os nossos associados. Dessa forma, buscamos orientá-los com a realização de palestras e encontros. O nosso foco é fortalecer o setor da borracha no município leopoldense e em todo o Estado.

Jornal VS - O que será feito em 2014 para incentivar a capacitação empresarial?

Gilberto Brocco- Seguiremos com as propostas de reunir associados para participarem de feiras e missões como ocorreu em 2013. Empresas de São Leopoldo como a Bins, Ingabor entre outras participaram da Feira K na Alemanha. Neste ano estaremos presentes na Mercopar, em Caxias do Sul, além dos cursos de capacitação que ocorreram em parceria com o Sebrae.

Perfil de Gilberto Brocco:

O presidente do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul) e diretor da fábrica de borracha Mercobor, Gilberto Brocco, é natural de Marau. Reside há 32 anos em São Leopoldo e atualmente é morador do bairro Morro do Espelho. "A minha experiência empresarial no setor da borracha motivou-me a buscar conhecimento sobre o setor. A partir daí acabei criando um laço direto com o Sinborsul e a minha forte atuação no Sinborsul fez com que eu conquistasse a confiança dos associados e me torna-se vice-presidente no período de 2010 a 2013 e em 2013 passei a exercer o cargo de presidente que seguirei com esse compromisso até 2016", disse Brocco.

Otimismo em 2014

A fábrica de borracha Mercobor atua há 19 anos no mercado e está localizada no bairro Scharlau, em São Leopoldo, é de propriedade de Brocco. "Estimamos um crescimento de até 15% na produção da borracha em 2014", disse o diretor da empresa, Brocco.

 

 

 

Fonte: Jornal VS ( Vale do Sinos), Texto da jornalista Dayane Mascitti.

Gilberto Brocco concede entrevista ao Espaço da Pedra sobre uma maior segurança e lucro nas empresas

A norma reguladora NR 12 estabelece os procedimentos obrigatórios nos locais destinados a máquinas e equipamentos, como piso, áreas de circulação, dispositivos de partida e parada, normas sobre proteção de máquinas e equipamentos, bem como manutenção e operação.

Para os setores produtivos, algumas questões não elucidadas pela norma podem gerar dificuldades. A NR12 não distingue prensa que tem velocidades de descida ou subida (ascendente ou descendente). Por exemplo, uma prensa excêntrica bate 60 vezes por segundo, enquanto uma hidráulica bate 1 vez por segundo.

Outro ponto levado em conta é que a norma NR12 também prevê inter-travamento de segurança, tonando o custo muito elevando para adequação.

Pensando nisso e na urgência necessária à adequação de máquinas novas e antigas, elaboramos um projeto em conjunto com a Superintendência do Ministério do Trabalho, a fim de entrar em conformidade com a NR 12 de forma mais facilitada e com custos reduzidos.

Desta forma, conseguimos com o Ministério formar uma comissão tripartite, formada pelo próprio Ministério, pelo Sindicato Patronal e pelo Sindicato dos Trabalhadores. Com isso, fizemos adequação em 48 máquinas a um custo muito baixo.

Como exemplo, podemos citar uma prensa que deveria utilizar uma cortina de luzes cujo valor aproximado seria de R$12.000,00. Em um trabalho conjunto, achamos uma solução mais econômica, colocando uma grade frontal com reles para desligamento da máquina. Isso por aproximadamente R$3.000,00.

E assim fizemos em 48 máquinas diferentes. Custo baixo, mas com a mesma segurança.

 

Gilberto Brocco
Presidente do Sindicato das Indústrias
de Artefatos de Borracha no Estado de RS (Sinborsul)

Fonte: http://espacodapedra.com.br/cadeia-produtiva/uso-do-procompi-para-adequacao-das-maquinas-a-nr12/

Nova diretoria do Sinborsul traça metas para a entidade

Com a proposta de representar empresas do setor da borracha do Rio Grande do Sul, o Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do RS (Sinborsul) projeta novas ações e incentivo para formentar a qualificação e empreendedorismo nas empresas. A iniciativa faz parte do planejamento da nova gestão do Sinborsul. Na última quinta-feira, dia 15, ocorreu a posse da nova diretoria da gestão 2013-2016 da entidade, que empossou o empresário e engenheiro mecânico Gilberto Brocco como o presidente. Na gestão anterior, Brocco era vice-presidente. Entre as ações estão previstos cursos de capacitação que contarão com o apoio do Sebrae. Além disso, faz parte do planejamento de projetos do Sinborsul o fortalecimento do incentivo e participação em exposições e missões empresariais pelo País e exterior. De acordo com Arlindo Paludo, que exerceu a presidência do Sinborsul de 2010 a 2013, a sua trajetória foi compartilhada com parceiros e apoiadores de diferentes  segmentos. "Tenho a convicção de que Brocco seguirá exercendo muito bem o papel em benefício a todos os associados do Sinborsul", disse Paludo ao transmitir o cargo no Centro das Indústrias. A posse contou com a presença do presidente da Fiergs, Heitor José Müller entre outros.

Sede em São Leopoldo

O engenheiro mecânico e empresário Gilberto Brocco é pós graduado em Administração de Produção e também em Segurança do Trabalho. Brocco, que é natural de Marau, é diretor da empresa Mercobor que há mais de 20 anos atua no bairro Scharlau em São Leopoldo. Com base territorial em todo Estado, o Sinborsul, com sede em São Leopoldo (Rua José Bonifácio 2014), possui 55 empresas associadas de todos os portes. Contatos pelo 3590-7733.

Jornal VS- Qual é a sua expectativa como presidente do Sinborsul?

Gilberto Brocco- Tenho há 21 anos uma forte ligação com o Sinborsul. No último mandato atuei como vice-presidente(2010 a 2013) e agora estou muito ansioso para exercer o cargo de presidente. Sou muito ambicioso e pretendo fortelecer ainda mais a imagem do Sinborsul e conquistar mais associados ao sindicato. Estou planejando ações como reuniões e encontros para apresentar o trabalho que o Sinborsul desempenha aos profissionais do setor.

Jornal VS- Quais são os planos para a sua gestão?

Gilberto Brocco- Em um primeiro momento vamos investir em qualificação profissional principalmente para micro e pequenas empresas do setor. Tenho a convicção de que é preciso estimular, cada vez mais, o interesse dos profissionais que atuam no setor por cursos de qualificação. Temos o Centro Tecnológico de Polímeros como nosso grande aliado. Neste local, são desenvolvidas pesquisas e análises de borracha. Além do reforço das visitas técnicas, que auxiliam no aperfeiçoamento profissional.

Jornal VS- Quais são as novidades para os próximos meses?

Gilberto Brocco- Teremos reuniões para tratar sobre a negociação salarial para beneficiar os trabalhadores do setor da borracha. Vamos investir em implantação de sistemas eletrônicos, para facilitar os nossos trabalhos. Trabalharemos sempre com o foco de fortalecer o setor da borracha no Município e em todo o Estado.

Fonte: Jornal VS (Vale dos Sinos). Página dos Negócios, Texto da jornalista Dayane Mascitti.

Gilberto Brocco, da empresa Mercobor, é o novo presidente da SINBORSUL

SINBORSUL empossa nova diretoria- Gilberto Brocco, da empresa de São Leopoldo, é o presidente da entidade para o triênio 2013/2016

Foi realizada no dia 15 de agosto, em sua sede localizada em São Leopoldo, a solenidade da posse da nova diretoria. Assumiu a presidência da entidade, o industrial Arlindo Paludo (grupo Vipal) que ocupurá a vice-presidência do Sindicato, juntamente com Adão Muck, da Crepesul, de São Leopoldo, Roberto Adolfo Ely, da Ingabor, de São Leopoldo e Luís Plínio Gomes, da Stilflex, de Canoas. Em seu discurso de posse, Gilberto Brocco, que atuou como vice-presidente e também foi diretor da entidade, falou que passou a reconhecer a importância do trabalho sindical para o fortalecimento  do associativismo, "representamos os interesses da categoria e promovemos a competitividade e a excelência. E esta deve ser a bandeira de todas as gestões", falou o presidente. Ele destacou a elaboração de uma cartilha, pioneira no Brasil, que têm como objetivo reduzir os riscos e os custos relativos aos acidentes de trabalho. "Este trabalho, que tenho a honra de coordenar, trará benefícios imensuráveis para toda a cadeia produtiva do setor", garantiu Brocco. Mas a principal meta de sua gestão é a visualização de novas parcerias para ampliar e fortalecer a representatividade da SINBORSUL valorizando, acima de tudo, as empresas associadas e filiadas, para quais quer oportunizar serviços e  negócios.

Fonte: SINBORSUL e Mercobor

Mercobor é a empresa madrinha do programa Atleta do Futuro do SESI

A parceria existente no Atleta do Futuro entre o SESI, a Empresa Madrinha - MERCOBOR - e demais indústrias refletem seu posicionamento responsável diante da sociedade, fortalecendo e otimizando investimentos e ampliando as oportunidades de acesso ao esporte como expressão de cidadania. O objetivo do programa está vinculado a fomentar práticas esportivas para o desenvolvimento das habilidades motoras, da aptidão física e da adoção de valores positivos do esporte.

Em 2012, o SESI São Leopoldo e Portão realizou 590 matrículas, sendo 328 alunos dependentes da Empresa Madrinha (MERCOBOR) e 262 alunos dependentes das indústrias, conforme o quadro que está nas imagens.

Em 2013, até julho, já foram realizadas 598 matrículas, sendo 371 alunos dependentes da Empresa Madrinha (MERCOBOR) e 227 alunos dependentes das indústrias, conforme quadro que está nas imagens.

Ao adotar o programa, as indústrias brasileiras reconhecem que têm papel fundamental na promoção da cidadania e na formação do caráter e dos valores das crianças e adolescentes que vão construir o futuro do país.

 

Fonte: Equipe do SESI Lazer (São Leopoldo/Portão) e Mercobor

Sinborsul anuncia novas ações para crescer em 2013

São Leopoldo- Representar as pequenas e médias empresas do setor da borracha do Estado é a missão do Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha no Estado do Rio Grande do Sul (Sinborsul/RS), que iniciou o ano de 2013 com novas perspectivas de trabalho. O vice-presidente do Sinborsul/RS Gilberto Brocco anunciou ontem, que no decorrer deste ano, serão organizadas feiras em parceria com o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânica e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo (Sindimetal), além de cursos de especialização aos empresários associados. No total, o Sinborsul, que possui sede no Centro de São Leopoldo, possui 55 empresas associadas de pequeno e médio porte. "Trabalhamos para orientar os nossos associados. Desta forma, buscamos orient-a-los com a realização de palestras e encontros. O nosso foco é fortalecer o setor da borracha no Município leopoldense e em todo o Estado", disse Brocco. Entre os principais planejamentos para este ano, Brocco também destacou a importância do Projeto Segurança de Máquinas para o Trabalho. "Temos que zelar pela segurança dos trabalhadores que estão produzindo nas fábricas e em pequenas empresas. Estamos estudando de uma forma juntamente com o Ministério do Trabalho de colocar em prática o projeto neste ano".

Otimismo Moderado

A queda no setor afetou fábricas de borracha como a Mercobor, no bairro Scharlau, de propriedade de Gilberto Brocco. "Fomos afetados de tal forma que tivemos muitos prejuízos em 2012. As vendas caíram em torno de 12% no passado em comparação com 2011. Para 2013, pretendemos aumentar a produção no mínimo 3%", diz. A Mercobor, que existe há 18 anos, produz em média 600 a 800 mil unidades por mês a nível nacional, entre as produções de técnicas de borrachas (linha agrícola, motores, automóveis e de insulflador ordenhadeira).

Recuperação na Economia

De acordo com o vice-presidente do Sinborsul/RS, Gilberto Brocco, o setor da borracha do Estado teve uma queda em torno de 8%. "O Rio Grande do Sul teve um decréssimo na venda de borracha, devido a desaceleração da economia internacional sobre as exportações. Seja no segmento de peneumáticos ou então de artefatos de borracha". Brocco acredita que na medida em que o fim do ciclo de desaceleração do PIB nacional vai tomando forma, contribui para melhorar as expectativas, e reserva os melhores resultados para 2013. "Esperamos contabilizar um aumento de pelo menos 8%, no setor no Estado para este ano. Estimamos recuperar o que foi perdido com a queda".

Fonte: Dayane Mascitti para o Jornal VS (Vale dos Sinos) - p. 25

Eventos de integração e lazer dentro da empresa

Promovendo a união, integração e conforto de todos os seus colaboradores, a empresa apóia e dá espaço para realizações artísticas, como a de osquestras, no caso infanto-juvenil, para promover a cultura e a ação pró-ativa, com o intuito de promover e cultivar a cultura entre todos.

Fonte: Mercobor

Feira Mercopar 2012

No dia 2 de outubro começou a Mercopar. Uma feira de Subcontratação e Inovação Industrial que promove, desde 1992, negócios e parcerias entre empresas nacionais e internacionais, independentemente do porte, com o objetivo de estimular a integração e a competitividade desses mercados. Possui caráter profissional, possui como públicos-alvo empresários, compradores, fornecedores, vendedores, representantes e distribuidores, ligados aos setores de automação industrial, borracha, eletroeletrônico, energia e meio ambiente, metalmecânico, movimentação e armazenagem de materiais, plástico e serviços industriais.

A Mercobor está localizada no pavilhão de número 2, no estande localizado na região da letra I, número 166. Estaremos os quatro dias na feira que ocorre na cidade de Caxias do Sul, localizada região da Serra Gaúcha. Na feira mostraremos as nossas novidades na produção de componentes técnicos de borracha, sempre visando a alta qualidade na fabricação e na parceria com seus clientes e fornecedores, aumentando os investimentos para o setor.

A boa localização da empresa é evidente na feira e facilita a procura de seus colaboradores, ficando próxima ao grupo do setor da SINBORSUL, o qual o diretor da empresa Mercobor, senhor Gilberto Brocco, atualmente é o seu vice-presidente.

A empresa participa da feira já a 13 anos, desde 1999. Sempre sendo convidada para participar também das jantas de abertura da Mercopar, a qual neste ano contou com a presença do presidente da empresa SEBRAE, o prefeito da cidade de Caxias do Sul e com a apresentação do espetáculo Tangos e Tragédias.

Mais uma vez a empresa está participando da feira e contribuindo para o aumento da qualidade e desenvolvimento do setor para o estado do Rio Grande do Sul. Todos estão convidados a conhecer e visitar o nosso estande na feira.

Fonte: Empresa Mercobor / site: www.mercopar.com.br

Mercobor e a preocupação com os resíduos de borracha

A mercobor está realizando um reaproveitamento das rebarbas( refúgos que são as sobras da borracha). Um material que seria descartado no lixo, hoje está sendo reaproveitado em torno de 50%. Em produtos com menor necessidade técnica.

Fonte: Empresa Mercobor

Mercopar e Mercobor

A mercobor participa da Mercopar desde 1999 sendo pioneira na indústria da borracha. Manteve-se durante todos esses anos ininterruptamente. Ao longo desses anos realizou diversos negócios, aumentando o seu número de clientes. Através da feira realizou também muitos contatos técnicos com os clientes atuais. Está entre as oito empresas qua mais participaram de todas as edições da feira, entre todas as indústrias gaúchas.

A empresa participará novamente neste ano, durante os dias 2 a 5 de outubro de 2012, na cidade de Caxias do Sul, no estante I236 do pavilhão 2 da feira.

Fonte: Empresa Mercobor

Premiação do programa de idéias Mercobor

Foi entregue aos colaboradores da empresa os prêmios condizentes ao número de pontos que cada um conseguiu reunir, em poucos meses para obterem os prêmios oferecidos pela empresa. Lembrando que a obtenção do prêmio varia em relação a idéia produtiva e inovadora que cada um ofereceu para melhorias na empresa, a partir disso conseguiu arrecadar um determinado número de pontos, que resultou na premiação, levando para casa um determinado prêmio oferecido pela empresa. A seguir algumas imagens da premiação e dos ganhadores dessa data.

Fonte: Empresa Mercobor

SINBORSUL e a segurança nas indústrias de borracha

O diretor da empresa Mercobor, senhor Gilberto Brocco, vice-presidente da SINBORSUL, está participando do projeto com o apoio do PROCON e do ministério do trabalho sobre segurança de máquinas no setor da indústria de artefatos de borrachas do Rio Grande do Sul.

Fonte: Empresa Mercobor

Novos investimentos da empresa

Adquiriu recentemente uma injetora para elastómero termoplástico. Pretendendo ampliar a sua linha de produção de trabalho.

Fonte: Empresa Mercobor

Programa de Idéias Mercobor

A empresa implementou um programa de idéias no qual os funcionarios participam dando idéias, muitas das recebidas, muitas foram aprovadas, muitos funcionários ganharam prêmios, os quais gerou um ganho técnico para a empresa e financeiro, acontecendo o mesmo para os funcionários.

Fonte: Empresa Mercobor

Usinagem

Investiu recentemente em um centro de usinagem moderna para a confecção e desenvolvimento de suas ferramentas. Com isso poderá atender seus clientes em um menor prazo, pois não dependerá de terceiros.

Fonte: Empresa Mercobor

Lazer para os seus colaboradores e clientes

Recentemente a empresa mercobor inaugurou um campo de futebol 7, com medidas oficiais para o lazer de seus funcionários e integração de outras empresas. Proporcionando diversão, lazer e integração entre seus colaboradores e clientes.

Fonte: Empresa Mercobor

Empresa conta com uma ferramentaria própria

Conta com uma ferramentaria própria para a fabricação de moldes tanto para uso interno, bem como para a fabricação de terceiros.

Fonte: Empresa Mercobor

Lazer, bem estar e conhecimento para seus funcionários

A mercobor proporciona a seus funcionários amplo refeitório para alimentação com cozinha própria, salão de jogos para lazer nos intervalos e uma biblioteca para que possam adquirir um maior conhecimento, com livros dos mais diversos títulos. Conta com uma área com televisão, para agregar informação das mais diversas formas.

Fonte: Empresa Mercobor

Noite de premiação do Destaque Gaúcho 2011

A empresa prestigia e concede prêmios a outras empresas, tendo também recebido o troféu do Destaque Gaúcho de 2011, alêm de estar na capa, como empresa destaque do ano. Algumas imagens da noite a qual a empresa brilhou e foi homenageada.

Fonte: Empresa Mercobor

Destaque gaúcho 2012

Mais uma vez a empresa está presente na revista Destaque Gaúcho do ano 19, Jan/Fev. de 2012 . A revista busca destacar as empresas inovadoras e que mais estão crescendo, se fortalecendo em meio a um difícil e inconstante mercado do cenário gaúcho. A empresa teve direito a seis páginas na revista contando a sua história, desde o início da criação da empresa até a sua ampliação de mais uma unidade fábril, comprovando a ótima fase vivida pela empresa atualmente.

Fonte: Empresa Mercobor

Empresa gera oportunidades de estágio para futuros profissionais

Mercobor abre as portas para estudantes de diversas áreas profissionais, como engenheiros, administradores, designers, entre outros, para realizarem seu estágio na empresa. Incentivando e gerando oportunidades para que os futuros profissionais tenham uma visão real do mercado de trabalho enfrentado pelas empresas. Ajudando em todas as etapas e acima de tudo valorizando os trabalhos dos alunos. A empresa já realizou projetos trabalhados nesses estágios para melhorar os diversos pontos frágeis da empresa, resolvendo muitos de seus problemas existentes.

Fonte: Empresa Mercobor

Empresa e o meio ambiente, parceria com a FUNRESOLI

Percebendo os problemas causados pelos lixos industriais, a empresa se preocupou em investir no meio ambiente e direcionar o resto do material utilizado para a fabricação de seus produtos de uma forma consciente, visando sempre o bem estar da natureza. Por isso atua diretamente com a FUNRESOLI (Fundação de Resíduos Sólidos Industriais), propondo-se a absorção e destino final dos resíduos industriais.

A responsabilidade da Mercobor com o Meio Ambiente é constante. Respeitando as normas impostas pela FEPAM (Fundação Estadual de Proteção Ambiental), órgão responsável pelo licenciamento ambiental, mantém uma área de preservação de mata junto à área construída da empresa às margens do riacho Arroio da Manteiga, onde preservamos uma expressiva quantidade de árvores devidamente catalogadas.

Fonte: Empresa Mercobor

Ampliação do seu parque fabril em 500m²

No ano de 2012, a empresa ampliou seu parque fabril em 500m² a qual adicionou neste setor toda a materia-prima, fabricação de massa e seus componentes. Dessa forma todo o material é processado diretamente dentro da fábrica, tendo um maior controle de qualidade em todos os produtos, desde a materia prima  ate a entraga do produto pronto ao cliente. Através de fichas de rastreabilidade que permanecem na empresa por até cinco anos.

Fonte: Empresa Mercobor

Destaque gaúcho 2011

Mercobor fez parte da edição de ano 18 Maio/Jun. de 2011 da revista Destaque Gaúcho. A revista busca destacar as principais empresas de diversos setores do estado do Rio Grande do Sul que estão no mercado. Gerando a oportunidade de visualição para um grande número de fornecedores e clientes do estado.

Fonte: Empresa Mercobor

A empresa na Feira de Hannover 2011

Linha de produtos da Mercobor na Hannover Messe desperta a atenção de visitantes. Empresa tem expectativa de ótimos negócios.
Especializada na fabricação e comercialização de peças técnicas de borracha, a brasileira Mercobor comemora desde os primeiros dias a ótima movimentação em seu estande na Feira de Hannover. “Desde o primeiro dia, realizamos diversos contatos, o que nos traz ótimas expectativas não só sobre o evento, mas também em relação ao aquecimento do mercado. Aliás, já recebemos uma cotação a respeito da nossa linha de produtos, o que mostra que as empresas estão interessadas na qualidade e nos diferenciais que temos a oferecer”, aponta o gerente comercial Luis Felipe Schaefer.A linha de produtos da companhia, que atua também na fabricação de componentes de freios e eletroeletrônicos, atende a equipamentos como máquinas, motores, torneiras, processadores de cabos e fios e anéis de vedação em geral. “Todos os nossos produtos oferecem alta seguranca, o que é imprescindível na área onde atuamos. A Feira de Hannover é estratégica para nós em termos de exportação para o mercado externo. Acredito que poderemos contabilizar um ótimo crescimento neste evento e no ano como um todo”, conclui Schaefer.

Fonte: Suzane Balbino / Ederson Benedicto - Matéria publicada no Portal MIES - 08/04/2011

Feira de hannover de 2011

Na feira de hannover de 2011, chamada Hannover Messe, a empresa particpou com três integrantes da empresa. Alêm de expôr os produtos da empresa, o corpo técnico pôde buscar novas idéias visitando a feira que possui 350.000 m² de área construída. Umas das poucas empresas do Brasil que participou da feira. Demonstrando a convicção de crescimento da diretoria e do corpo técnico da Mercobor.

Fonte: Empresa Mercobor

Mercopar 2010

19ª edição da Mercopar - Feira de Subcontratação e Inovação Industrial é promovida pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul (Sebrae/RS) e pela Hannover Fairs Sulamerica, empresa do grupo Deutsche Messe AG. O evento aconteceu no Centro de Feiras e Eventos da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), de 19 a 22 de outubro. A feira reuniu cerca de 550 expositores.

Mais uma vez, nossa empresa se fez presente. Após 11 anos de participação consecutiva, acreditamos que a Feira é uma excelente oportunidade para encontrarmos nossos clientes e amigos e  reafirmar nosso princípio de parceria no fornecimento de peças e componentes técnicos de borracha.

Agradecemos a todos que nos visitaram em nosso espaço. Em breve disponibilizaremos fotos do encontro.

Informações sobre a Mercopar 2010 no site:  www.mercopar.com.br

Fonte: Empresa Mercobor

Investimento em Máquinas e Equipamentos

Antecipando-se ao mercado, a Mercobor investiu em novas Injetoras e Prensas, permitindo a rápida reação ao aumento de volumes de produção e captação de novos clientes.

Fonte: Empresa Mercobor

Expansão da Área Fabril

As obras de ampliação da fábrica e construção de um novo pavilhão (aproximadamente 500m²) iniciaram em julho/2007.

Mesmo frente à crise de 2009, a empresa deu continuidade ao seu Planejamento Estratégico e inaugurou sua nova Fábrica, atualmente com 2500m².

Fonte: Empresa Mercobor

Na carona do setor automobilístico

Surfando na onda de bons resultados da indústria automobilística e de máquinas agrícolas, grandes consumidores de insumo, os fabricantes de componentes de borracha gaúchos comemoram um aumento acumulado ao faturamento de 13,4% entre janeiro e março. O dado faz parte do levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs).

 O sindicato da indústria da borracha gaúcho (Sinborsul) prevê um crescimento de 7,1% no ano, podendo chegar até 8,9% no cenário mais otimista. Tendo como base o Índice de Desempenho Industrial (IDI) da Fiergs. No acumulado dos primeiros três meses do ano, o IDI apresentou alta de 12,9%. “Na medida em que outros setores avançam, nós vamos juntos. Não estamos trabalhando a pleno, mas estamos com bom patamar de produção”, avalia o presidente do Sinborsul, Geraldo Fonseca. Para o dirigente, apesar de as fábricas estarem preparadas para um bom ano, a retomada dos investimentos ainda deve demorar mais um tempo. A capacidade instalada das unidades fechou março em 68,8%. “Os novos investimentos ainda vão depender do futuro da economia” afirma.

Na avaliação de Gilberto Brocco, diretor da indústria Mercobor, que tem foco na produção de peças técnicas para linhas de máquinas agrícolas e automotivas (coxins, amortecedores, gaxetas, vedações, etc), os maus resultados do ano passado já estão superados. Após redução de 50% no faturamento em 2009, a empresa pretende recuperar os valores de 2008 e ainda supera-los em 15%. A principal incerteza apontada por Brocco é relativa às eleições presidenciais deste ano. “Até o final de agosto teremos crescimento com certeza”. A partir daí, é possível uma travada por conta das eleições, ninguém sabe o que vai acontecer, se houver troca de governo. Principalmente a indústria automotiva pode dar uma parada”, avalia. Mesmo assim, a empresa pretende investir R$500 mil em um novo pavilhão neste ano (no ano passado houve construção de novas instalações por R$1,5 milhão). Atualmente a Mercobor possui 84 funcionários em sua unidade em São Leopoldo.

Localizada no mesmo município, outra empresa do ramo, a Bins, também tem perspectivas otimistas para o ano. O responsável pela área de Desenvolvimento de Mercado da industria Sérgio Luís Patslaff, projeta crescimento de 30% em 2010.

O Rio Grande do Sul é o segundo principal produtor de artefatos de borracha do País, com 11,19% da produção nacional. Perde apenas para São Paulo, que responde por 63,56% segundo levantamento de 2008.

Fonte: Empresa Mercobor

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


(51) 3568.1010
(51) 3554.1010
mercobor@mercobor.com.br
Mercobor Ind. e Com LTDA

Av Parobé 3500 - Scharlau
São Leopoldo
Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades.

Desenvolvido por: Oxxiweb - Seu site feito por quem sabe.